Alfabetização de jovens e adultos

O livro é um relato contundente na primeira pessoa. Depois de tudo acontecido, o personagem principal conta sua história. Coisa-Nenhuma, filho de uma mulher negra e de pai branco desconhecido, num lugar chamado Furna dos Crioulos, fica órfão e é criado pela avó. Um dia encontra desacordado na mata um homem chamado Pajé, que não era dali, com quem aprende o amor pelos livros e pelas histórias.

Desse contato nasce o desejo de aprender a ler e escrever, mas o amigo, que já estava no fim da vida, não pode ensiná-lo, e nem mesmo a professora que a Prefeitura manda para o local. Depois de inventar para si mesmo o nome de Marílio da Conceição, o rapaz ganha o mundo em busca de realizar o desejo de alfabetizar-se.

✔ Saiba porque a educação sempre se preocupou com avaliações.

Para tanto, vai ter que vencer alguns obstáculos, como a falta de documentos, de profissão, a ingenuidade e o desconhecimento do mundo. Conhece o inferno em vida: passa de escravo numa fazenda no meio do mato a garimpeiro, até que da forma mais inesperada possível consegue chegar perto de realizar o seu projeto de vida.

Destaca-se no livro a linguagem rural e a luta do personagem para conquistar algo que nos parece tão acessível: a leitura e a escrita. A obstinação e a força para continuar a busca são impressionantes e ao mesmo tempo convidativas, porque, depois de tanta insistência, o leitor está torcendo avidamente pelo personagem.

Merecem destaque a edição bem cuidada, as ilustrações feitas com colagem digital, modernas e propiciadoras de inúmeras leituras, assim como o emprego da cor dourada e toda a simbologia que emana do ouro. Afinal, o personagem insiste em dizer, durante todo o livro, que sua riqueza era muito mais preciosa.

A autora santista tem um destacado papel e um grande compromisso com a alfabetização de jovens e adultos, além de um importante trabalho na formação de leitores, sobretudo na Paraíba, onde acabou se estabelecendo.

✔ Fique atento: Porque a Agricultura familiar é uma questão de sobrevivência.

Este livro, em 2013, ficou com o terceiro lugar no prêmio Jabuti, na categoria Juvenil, e ganhou o selo Altamente Recomendável, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, no mesmo ano. Carreira premiada!